Lave minha mão no texto de seus poemas sujos

Cinco poemas de Noémia de Sousa | ERMIRA- Lave minha mão no texto de seus poemas sujos ,O livro condensa a sua produção poética de 1948 a 1951. Os seus textos tinham sido publicados em jornais, como O Brado Africano, e em revistas, como a brasileira Sul. Desde cedo engajou-se na luta pela libertação de seu país do colonialismo português.QUANDO FALTA-ME SUA MÃO - Poemas | Luso-PoemasQUANDO FALTA-ME SUA MÃO quando falta-me sua mão aquela pele conhecida que aninha-se entre meus poros aquela ternura antiga que o toque restaura a minha alma quando falta-me sua mão que entrelaça-se entre meus dedos dando-me aquela seguranca absoluta de que voce está comigo em todos os momentos da minha vida quando falta-me sua mão



Paralerepensar - Texto

Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir, verifique seus próprios defeitos e limitações. Olhe antes de tudo, para sua própria casa, para dentro de você mesmo. Só assim poderemos ter noção do real valor de nossos amigos. Lave sua vidraça. Abra sua janela !!! POSTADO POR JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

Contate o fornecedor

Cinco poemas de Noémia de Sousa | ERMIRA

O livro condensa a sua produção poética de 1948 a 1951. Os seus textos tinham sido publicados em jornais, como O Brado Africano, e em revistas, como a brasileira Sul. Desde cedo engajou-se na luta pela libertação de seu país do colonialismo português.

Contate o fornecedor

Carlos Drummond de Andrade (8) - Pensador

Olhos sujos no relógio da torre: Não, o tempo não chegou de completa justiça. O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera. O tempo pobre, o poeta pobrefundem-se no mesmo impasse. Em vão me tento explicar, os muros são surdos. Sob a pele das palavras há cifras e códigos. O sol consola os doentes e não os renova.As coisas.

Contate o fornecedor

Paralerepensar - Texto

Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir, verifique seus próprios defeitos e limitações. Olhe antes de tudo, para sua própria casa, para dentro de você mesmo. Só assim poderemos ter noção do real valor de nossos amigos. Lave sua vidraça. Abra sua janela !!! POSTADO POR JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

Contate o fornecedor

SUA MÃO - Poemas | Luso-Poemas

SUA MÃO Autor: Carlos Henrique Rangel Segura suavemente a minha mão Que esconde a sua. Tudo é dito nesse pequeno toque. E meu corpo responde... Que seja para sempre Como sempre. Um beijo não diria tanto E tudo é dito nesse toque. Mesmo que em sonhos Mesmo que o perigo ronde esse momento... Eu sempre te amei E sei. Nada mais sincero que sua ...

Contate o fornecedor

SUA MÃO - Poemas | Luso-Poemas

SUA MÃO Autor: Carlos Henrique Rangel Segura suavemente a minha mão Que esconde a sua. Tudo é dito nesse pequeno toque. E meu corpo responde... Que seja para sempre Como sempre. Um beijo não diria tanto E tudo é dito nesse toque. Mesmo que em sonhos Mesmo que o perigo ronde esse momento... Eu sempre te amei E sei. Nada mais sincero que sua ...

Contate o fornecedor

Cinco poemas de Noémia de Sousa | ERMIRA

O livro condensa a sua produção poética de 1948 a 1951. Os seus textos tinham sido publicados em jornais, como O Brado Africano, e em revistas, como a brasileira Sul. Desde cedo engajou-se na luta pela libertação de seu país do colonialismo português.

Contate o fornecedor

SUA MÃO - Poemas | Luso-Poemas

SUA MÃO Autor: Carlos Henrique Rangel Segura suavemente a minha mão Que esconde a sua. Tudo é dito nesse pequeno toque. E meu corpo responde... Que seja para sempre Como sempre. Um beijo não diria tanto E tudo é dito nesse toque. Mesmo que em sonhos Mesmo que o perigo ronde esse momento... Eu sempre te amei E sei. Nada mais sincero que sua ...

Contate o fornecedor

Paralerepensar - Texto

Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir, verifique seus próprios defeitos e limitações. Olhe antes de tudo, para sua própria casa, para dentro de você mesmo. Só assim poderemos ter noção do real valor de nossos amigos. Lave sua vidraça. Abra sua janela !!! POSTADO POR JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

Contate o fornecedor

Vidas Passadas - Textos de amor | Luso-Poemas

Era feito de ar, de um sonho distante, que nasceu na minha mão. Era vida. Que me percorria o corpo pela primeira vez, e aí me tornava alguém. Um suspiro no meu pescoço, enquanto eu te beijava as mãos e te olhava na alma. Era mais que uma vida.

Contate o fornecedor

Carlos Drummond de Andrade (8) - Pensador

Olhos sujos no relógio da torre: Não, o tempo não chegou de completa justiça. O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera. O tempo pobre, o poeta pobrefundem-se no mesmo impasse. Em vão me tento explicar, os muros são surdos. Sob a pele das palavras há cifras e códigos. O sol consola os doentes e não os renova.As coisas.

Contate o fornecedor

Padre Fabio de Melo Homenagem (9) - Pensador

Comeu o cheiro de cana cortada e o cheiro de maresia. Comeu até essas coisas de que eu desesperava por não saber falar delas em verso. O amor comeu até os dias ainda não anunciados nas folhinhas. Comeu os minutos de adiantamento de meu relógio, os anos que as linhas de minha mão asseguravam. Comeu o futuro grande atleta, o futuro grande ...

Contate o fornecedor

SUA MÃO - Poemas | Luso-Poemas

SUA MÃO Autor: Carlos Henrique Rangel Segura suavemente a minha mão Que esconde a sua. Tudo é dito nesse pequeno toque. E meu corpo responde... Que seja para sempre Como sempre. Um beijo não diria tanto E tudo é dito nesse toque. Mesmo que em sonhos Mesmo que o perigo ronde esse momento... Eu sempre te amei E sei. Nada mais sincero que sua ...

Contate o fornecedor

QUANDO FALTA-ME SUA MÃO - Poemas | Luso-Poemas

QUANDO FALTA-ME SUA MÃO quando falta-me sua mão aquela pele conhecida que aninha-se entre meus poros aquela ternura antiga que o toque restaura a minha alma quando falta-me sua mão que entrelaça-se entre meus dedos dando-me aquela seguranca absoluta de que voce está comigo em todos os momentos da minha vida quando falta-me sua mão

Contate o fornecedor

Carlos Drummond de Andrade (8) - Pensador

Olhos sujos no relógio da torre: Não, o tempo não chegou de completa justiça. O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera. O tempo pobre, o poeta pobrefundem-se no mesmo impasse. Em vão me tento explicar, os muros são surdos. Sob a pele das palavras há cifras e códigos. O sol consola os doentes e não os renova.As coisas.

Contate o fornecedor

Padre Fabio de Melo Homenagem (9) - Pensador

Comeu o cheiro de cana cortada e o cheiro de maresia. Comeu até essas coisas de que eu desesperava por não saber falar delas em verso. O amor comeu até os dias ainda não anunciados nas folhinhas. Comeu os minutos de adiantamento de meu relógio, os anos que as linhas de minha mão asseguravam. Comeu o futuro grande atleta, o futuro grande ...

Contate o fornecedor

Moradores de Rua (3) - Pensador

Preso à minha classe e a algumas roupas,Vou de branco pela rua cinzenta. Melancolias, mercadorias espreitam-me. Devo seguir até o enjôo? Posso, sem armas, revoltar-me'? Olhos sujos no relógio da torre: Não, o tempo não chegou de completa justiça. O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera.

Contate o fornecedor

Poemas de Amor e Sexo - Pensador

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!

Contate o fornecedor

Cinco poemas de Noémia de Sousa | ERMIRA

O livro condensa a sua produção poética de 1948 a 1951. Os seus textos tinham sido publicados em jornais, como O Brado Africano, e em revistas, como a brasileira Sul. Desde cedo engajou-se na luta pela libertação de seu país do colonialismo português.

Contate o fornecedor

Poemas de Amor e Sexo - Pensador

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!

Contate o fornecedor

Mulheres inteligentes - Outros textos | Luso-Poemas

3- Como no final de cada texto que divulgo aqui há minha assinatura eletronica, o pessoal por engano coloca meu nome no final do texto em seus blogs (como se fosse de minha autoria), com isso peço que as pessoas que gosterem e quererem divulga-lo por favor coloquem a biblbiografia.

Contate o fornecedor

Poemas de Amor e Sexo - Pensador

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!

Contate o fornecedor

Poemas de Amor e Sexo - Pensador

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!

Contate o fornecedor

Moradores de Rua (3) - Pensador

Preso à minha classe e a algumas roupas,Vou de branco pela rua cinzenta. Melancolias, mercadorias espreitam-me. Devo seguir até o enjôo? Posso, sem armas, revoltar-me'? Olhos sujos no relógio da torre: Não, o tempo não chegou de completa justiça. O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera.

Contate o fornecedor

Copyright ©AoGrand All rights reserved